Bem-vindos à nossa comunidade!

Junte-se a nós e faça parte hoje mesmo!

Preconceito de linguagens

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
Ao entrar em grupos de programação nas redes sociais, logo se percebe vários tópicos do tipo: "Qual linguagem apostar em 2021?", "Qual a melhor linguagem para começar". Nessa briga de qual a melhor linguagem, todas as linguagens acabam sofrendo em maior ou menor grau algum tipo de preconceito. O que ao meu ver, até certo ponto, é uma discursão saudável. Porém, há uma linguagem que sofre um preconceito estratosférico, acima do saudável. Qualquer iniciante dessa linguagem, ao ver os comentários em rede social, rapidamente se desmotivam e por vezes acabam até mudando sua escolha de linguagem. Acho que todos já devem no mínimo desconfiar de qual linguagem estou falando, não é mesmo?? hehe JAVA.
O problema que o preconceito com Java, na maioria das vezes, assim como a maioria dos preconceitos em geral, não tem fundamento algum, ou até tem, mas são coisas que ficaram no passado e não fazem mais parte da realidade da linguagem nos dias atuais, mas mesmo assim as pessoas fazem questão de propagar, coisas como: Java é lento, Java é verboso, Java vai morrer ( a prova disso é que o google adotou o Kotlin), java só tem projetos legados, etc.

Java de fato era lento em suas primeiras versões. Nos anos 90 a capacidade de processamento e memória dos computadores também não ajudava muito. No entanto, a Java Virtual Machine evoluiu bastante ao longo dos anos e hoje isso não é mais uma verdade. Java chega a ser mais rápido do que o Python, por exemplo, na grande maioria dos casos. https://benchmarksgame-team.pages.debian.net/benchmarksgame/fastest/python3-java.html (obs: não estou criticando o Python, é uma excelente linguagem também).

Java de fato também era verboso em suas primeiras versões, o que foi melhorando muito ao longo dos anos com surgimento de cada versão. Sem falar com o surgimento de vários frameworks que otimizaram bastante os códigos comerciais em Java. Porém, se mesmo assim, ainda insistirmos em dizer que Java é verboso, ok, mas por que então C# não sofre 0.001% do preconceito de Java??

As pessoas adoram utilizar o argumento de que a google adotou o kotlin em detrimento do Java em mobile, para justificar que Java é "ultrapassado", mas se esquecem que a Oracle processou o google e isso com certeza teve uma influência direta. Falam como se Java fosse uma linguagem jurasquica, mas se esquecem que Python é mais antigo do que Java. Que JavaScript surgiu na mesma época. PHP idem. Ruby idem. Linguagens como C e C++ que são bem mais antigas do que Java, também não sofrem esse tipo de preconceito.

As pessoas também gostam de dizer que Java é só sistema legado. Não é bem assim, há muitos projetos novos utilizando Java com Spring. Porém, as pessoas se esquecem, que em qualquer linguagem, se vc não for trabalhar em uma empresa cuja atividade fim é a programação, você basicamente vai trabalhar com sistemas legados. Há infinitamente mais empresas de outros setores do que de desenvolvimento de software. Então a probabilidade de vc trabalhar em uma empresa que a atividade fim não é o desenvolvimento de software é bem grande. Então nesse caso, vc vai ficar cuidando de sistemas legados.

Não estou falando que Java é melhor do que as outras linguagens. Não, não é isso. Acho que as principais linguagens do mercado são boas no que se propõe e tem seu espaço. Ponto. A questão é o Java que é a linguagem que mais tem vagas no brasil ( basta fazer uma busca no linkedin e comparar linguagens), está entre as que tem a melhor média salarial, mas que a comunidade odeia. Sério, juro que não entendo. Eu como ainda aprendiz de Java, por vezes fico até um pouco desmotivado. Desculpem o desabafo.
 

Nilo

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
12
Curtidas
32
Pontuação
36
Cidade
Brasília
Não sei se é uma questão de preconceito...

O ponto central do teu comentário são os sistemas legados. Ninguém (ou quase ninguém) gosta de pegar sistemas legados, porque se fica preso em tecnologias que podiam ser o topo de linha quando o sistema foi escrito, mas que hoje poderiam ser substituídas por tecnologias mais novas, mais rápidas, mais eficientes.

E a verdade é que empresas que tem sistemas legados não irão atualizar tecnologias, a menos que sejam obrigadas. Quando se começa a mexer em um sistema legado escrito em Java por volta de 2000, 2001, o trabalho é insano. Muitas vezes o cara que escreveu o código não está mais na empresa. Muitas vezes nem mesmo o analista de negócios da época também já foi embora. Aí é duro depurar código antigo para achar bugs. É duro também achar o ponto certo onde mexer para adicionar uma nova função ao sistema.

Acho que as pessoas não detestam Java diretamente. Detestam ter que mexer em código Java antigo.

Java não é a melhor linguagem do mundo. Nem a pior. Tem seus pontos fortes. E tem também seus pontos fracos.
 

mourabraz

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
36
Curtidas
83
Pontuação
54
Cidade
Leiria
( a prova disso é que o google adotou o Kotlin)
Oi, mas Kotlin não é JAVA! Tudo bem que na crítica sobre ser lento e tal até serve, mas mesmo assim o processo de construção do bytecode é diferente não é?

Eu agora to na dúvida! Vc poderia abordar um pouco mais esta parte? Obrigado.
 

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
Não sei se é uma questão de preconceito...

O ponto central do teu comentário são os sistemas legados. Ninguém (ou quase ninguém) gosta de pegar sistemas legados, porque se fica preso em tecnologias que podiam ser o topo de linha quando o sistema foi escrito, mas que hoje poderiam ser substituídas por tecnologias mais novas, mais rápidas, mais eficientes.

E a verdade é que empresas que tem sistemas legados não irão atualizar tecnologias, a menos que sejam obrigadas. Quando se começa a mexer em um sistema legado escrito em Java por volta de 2000, 2001, o trabalho é insano. Muitas vezes o cara que escreveu o código não está mais na empresa. Muitas vezes nem mesmo o analista de negócios da época também já foi embora. Aí é duro depurar código antigo para achar bugs. É duro também achar o ponto certo onde mexer para adicionar uma nova função ao sistema.

Acho que as pessoas não detestam Java diretamente. Detestam ter que mexer em código Java antigo.

Java não é a melhor linguagem do mundo. Nem a pior. Tem seus pontos fortes. E tem também seus pontos fracos.
Ok!! mas o amigo não acha que isso seria um problema normal em qualquer linguagem, tendo em vista que quanto mais velha a linguagem, a tendência é ter mais sistemas legados do que sistemas novos?? Afinal, Java tem 25 anos, isto é, são 25 anos construindo sistemas ( que se tornaram legados) contra apenas um ano (2020) de sistemas novos. Então, a critica das pessoas aos sistemas legados de Java, pra mim só faz sentido se a pessoa programa com tecnologias que foram criadas nos últimos anos. Agora quem programa com tecnologias como javaScript, PHP, Ruby, Python, etc, que foram criados na mesma época de Java, terão o mesmo problema.
 

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
Oi, mas Kotlin não é JAVA! Tudo bem que na crítica sobre ser lento e tal até serve, mas mesmo assim o processo de construção do bytecode é diferente não é?

Eu agora to na dúvida! Vc poderia abordar um pouco mais esta parte? Obrigado.
Não. Kotlin, não é Java. São linguagens diferentes.

Existem três tipos de linguagens:
1) Linguagens compiladas: O código fonte é compilado e depois o gerador de código gera um código executável que roda diretamente no sistema operacional. Então esse tipo de linguagem é super rápida, pois roda diretamente na máquina. O problema é que ele é especifico para cada tipo de sistema operacional, isto é, o executável para windows não vai funcionar para linux ou mac, precisando fazer todo o processo de recopilação e geração de código toda vez que mudar de sistema operacional. Exemplos: C / C++

2) Linguagens interpretadas: O código fonte passa por um interpretador especifico para cada sistema operacional instalado na máquina. O código é interpretado durante a execução, então a analise léxica e sintática do código e a geração do executável é feito sob demanda no momento da execução. Processo bem mais lento do que de linguagens compiladas. Porém, tem a vantagem de ser multiplataforma. O mesmo código roda em qualquer sistema operacional. Ex: JavaScipt, PHP, Ruby, Python.

3) Linguagens hibridas: que é o caso do Java e do C#. Eles pegam a vantagem das duas ( compiladas e interpretadas). O código fonte passa por um pré compilador que gera um bytecode e esse bytecode é "interpretado" por uma máquina virtual, ao invés de rodar diretamente na máquina. Assim ele tem a vantagem de ser multiplataforma e ao mesmo tempo é mais rápido do que as linguagens interpretadas, pois antes de ser "interpretados" pela máquina virtual o código já foi otimizado na compilação.

Falei bem resumido, a grosso modo, por que isso é meio complexo de explicar em poucas linhas e sem utilizar imagens. Espero que tenha dado para entender.
 

mourabraz

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
36
Curtidas
83
Pontuação
54
Cidade
Leiria
@Zé Junior bom dia! Obrigado camarada. Agora ficou mais claro. Não sei porque mas da primeira vez que li sua mensagem original tinha ficado com a impressão de que vc meio que igualava o JAVA e o Kotlin... por isso que interagi. Obrigado!
 

Nilo

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
12
Curtidas
32
Pontuação
36
Cidade
Brasília
Ok!! mas o amigo não acha que isso seria um problema normal em qualquer linguagem, tendo em vista que quanto mais velha a linguagem, a tendência é ter mais sistemas legados do que sistemas novos?? Afinal, Java tem 25 anos, isto é, são 25 anos construindo sistemas ( que se tornaram legados) contra apenas um ano (2020) de sistemas novos. Então, a critica das pessoas aos sistemas legados de Java, pra mim só faz sentido se a pessoa programa com tecnologias que foram criadas nos últimos anos. Agora quem programa com tecnologias como javaScript, PHP, Ruby, Python, etc, que foram criados na mesma época de Java, terão o mesmo problema.
Mais ou menos.

Um problema do Java é a obrigação de ter que instalar o JDK ou o JRE em todas as máquinas onde eu quero executar o código Java. E não são downloads pequenos., embora isso hoje em dia não seja algo grave devido as melhorias da infraestrutura de internet que temos atualmente.

A Microsoft tentou fazer uma JDK/JRE de Java, mas foi bloqueada por causa de patentes da Sun, na época. Por isso a Microsoft fez o C#, que começou como sendo um Java disfarçado e depois evoluiu bastante. A diferença é que o "JDK" e a "JRE" do C# já vem embutidas no Windows, o que aumentou a facilidade de uso. Inclusive muitas coisas do próprio Windows são escritas em C# (coisa que descobri ao custo de muita dor, já que certa feita desinstalei o framework .Net da minha máquina porque estava com pouco disco e depois disso nem dar boot a máquina dava; tive que reinstalar tudo).

A diferença entre Java e Javascript, PHP, Ruby, Ptyhon, etc é que normalmente as atualizações dessas linguagens não quebram código antigo. No Java, cada atualização que vem pode ocasionalmente causar resultados imprevisíveis.

As minhas críticas quanto aos sistemas legados em Java eu as faço por experiência própria, já que muito sofri com isso. Isso não necessáriamente acontece com todas as linguagens. Por exemplo, ano passado um amigo me pediu ajuda com um sistema legado escrito em Cobol na década de 80 que ele tinha na empresa dele. Muito tranquilo de mexer. O Cobol da década de 80 ainda é válido hoje...

Não detesto Java. Programo em Java desde 2002. Mas se eu tivesse que começar um sistema do zero hoje, Java seria uma das minhas últimas opções.

Obs.: Caso interesse, trabalho com programação e análise desde 1978. Já vi muita coisa nestes anos...
 

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
@Zé Junior bom dia! Obrigado camarada. Agora ficou mais claro. Não sei porque mas da primeira vez que li sua mensagem original tinha ficado com a impressão de que vc meio que igualava o JAVA e o Kotlin... por isso que interagi. Obrigado!
O que eu quis dizer do Kotlin foi o seguinte: o Java por muitos anos foi o padrão Android. Porém, nós últimos anos o Google (mantedora do Android) substituiu o Java pelo Kotlin. Dai muitos ficam dizendo que a Kotlin é melhor do que o Java, por causa disso. Porém, eles se esquecem que a Oracle (mantedora do Java) processou o Google. Tiveram uma briga feia na Justiça. Então, certamente essa briga na justiça influenciou na mudança da google para o Kotlin e não por que necessariamente Kotlin é melhor.
 

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
Mais ou menos.

Um problema do Java é a obrigação de ter que instalar o JDK ou o JRE em todas as máquinas onde eu quero executar o código Java. E não são downloads pequenos., embora isso hoje em dia não seja algo grave devido as melhorias da infraestrutura de internet que temos atualmente.

A Microsoft tentou fazer uma JDK/JRE de Java, mas foi bloqueada por causa de patentes da Sun, na época. Por isso a Microsoft fez o C#, que começou como sendo um Java disfarçado e depois evoluiu bastante. A diferença é que o "JDK" e a "JRE" do C# já vem embutidas no Windows, o que aumentou a facilidade de uso. Inclusive muitas coisas do próprio Windows são escritas em C# (coisa que descobri ao custo de muita dor, já que certa feita desinstalei o framework .Net da minha máquina porque estava com pouco disco e depois disso nem dar boot a máquina dava; tive que reinstalar tudo).

A diferença entre Java e Javascript, PHP, Ruby, Ptyhon, etc é que normalmente as atualizações dessas linguagens não quebram código antigo. No Java, cada atualização que vem pode ocasionalmente causar resultados imprevisíveis.

As minhas críticas quanto aos sistemas legados em Java eu as faço por experiência própria, já que muito sofri com isso. Isso não necessáriamente acontece com todas as linguagens. Por exemplo, ano passado um amigo me pediu ajuda com um sistema legado escrito em Cobol na década de 80 que ele tinha na empresa dele. Muito tranquilo de mexer. O Cobol da década de 80 ainda é válido hoje...

Não detesto Java. Programo em Java desde 2002. Mas se eu tivesse que começar um sistema do zero hoje, Java seria uma das minhas últimas opções.

Obs.: Caso interesse, trabalho com programação e análise desde 1978. Já vi muita coisa nestes anos...
Aht, tá!! Entendi o ponto de vista do amigo. É, realmente não tinha pensado muito por esse lado da evolução do Java. A linguagem mudou bastante e quem aprendi Java atual, vai sofrer muito se pegar sistemas legados. Obrigado por compartilhar suas experiências. Acrescentou deveras ao tópico. Abraço.
 

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
Mais ou menos.

Um problema do Java é a obrigação de ter que instalar o JDK ou o JRE em todas as máquinas onde eu quero executar o código Java. E não são downloads pequenos., embora isso hoje em dia não seja algo grave devido as melhorias da infraestrutura de internet que temos atualmente.

A Microsoft tentou fazer uma JDK/JRE de Java, mas foi bloqueada por causa de patentes da Sun, na época. Por isso a Microsoft fez o C#, que começou como sendo um Java disfarçado e depois evoluiu bastante. A diferença é que o "JDK" e a "JRE" do C# já vem embutidas no Windows, o que aumentou a facilidade de uso. Inclusive muitas coisas do próprio Windows são escritas em C# (coisa que descobri ao custo de muita dor, já que certa feita desinstalei o framework .Net da minha máquina porque estava com pouco disco e depois disso nem dar boot a máquina dava; tive que reinstalar tudo).

A diferença entre Java e Javascript, PHP, Ruby, Ptyhon, etc é que normalmente as atualizações dessas linguagens não quebram código antigo. No Java, cada atualização que vem pode ocasionalmente causar resultados imprevisíveis.

As minhas críticas quanto aos sistemas legados em Java eu as faço por experiência própria, já que muito sofri com isso. Isso não necessáriamente acontece com todas as linguagens. Por exemplo, ano passado um amigo me pediu ajuda com um sistema legado escrito em Cobol na década de 80 que ele tinha na empresa dele. Muito tranquilo de mexer. O Cobol da década de 80 ainda é válido hoje...

Não detesto Java. Programo em Java desde 2002. Mas se eu tivesse que começar um sistema do zero hoje, Java seria uma das minhas últimas opções.

Obs.: Caso interesse, trabalho com programação e análise desde 1978. Já vi muita coisa nestes anos...
Só por curiosidade, qual ou quais as linguagens o amigo atualmente trabalha??
 

Nilo

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
12
Curtidas
32
Pontuação
36
Cidade
Brasília
Neste momento estou usando:
  • Lazarus (clone open source do Delphi, que usa Pascal)
  • VueJs (Quasar)
  • Javascript, HTML, CSS
  • C#
  • Go
Daqui a pouco vou para Mobile, e aí ainda estou em dúvida (Quasar, ReactNative, Flutter...)
 

Arthur Bandeira

Arthur Oliveira
Moderador
Cadastro
24/9/20
Postagens
13
Curtidas
43
Pontuação
36
Cidade
Fortaleza
Fala, Grande Zé!

Cara, gosto de pensar que nem o Fabio Akita. Desenvolvedor tem que ser totalmente infiel/promíscuo quando se trata de linguagem de programação 😅Não acredito que exista "a linguagem de programação que resolverá todos os problemas" e acho que quando alguém fala que linguagem X é a melhor de todas, claramente existe uma falta de maturidade no meio do desenvolvimento. Não de que a pessoa que disse isso é imatura em sua personalidade ou que a pessoa seja necessariamente inexperiente em programação. As vezes a pessoa trabalha a 12 anos com a mesma linguagem e esse é o mundo dela. Tudo pra ela se resolve com a mesma linguagem e com as mesmas libs. Independente do tempo de mercado dessa pessoa, acredito que isso seja um pouco de imaturidade. No sentido de não explorar outras coisa, outras linguagens, outras libs etc. Até porque no frigir dos ovos, lógica de programção é a mesma coisa em qualquer linguagem. Talvez mudando um pouco a forma de pensar em dependendo do paradigma.

Vejo em muitos grupos de programação a galera tacando o pau em PHP e Java. A maioria acredito que é pelo efeito manada, e por conta do meme(que são engraçados diga-se de passagem). As vezes nem programou com essas linguagens mas já tem opinião formada. Por outro lado temos a galera que considera Python uma religião. Tudo essa pessoa resolve com Python, o que acaba gerando uma corrente de memes ou de pessoas que pensam da mesma forma em nem ter tentado usar a linguagem.

Claro, não podemos ignorar o fato de que algumas linguagens de programação são mais rápidas/lentas que outras, msa você sempre deve ser orientado pelos seus casos de uso e pelas demandas do seu cliente. A linguagem de programação ou banco de dados deve ser apens um detalhe. No final do dia, quando alguém me pergunta: "Arthur, qual linguagem de programação eu deveria usar pra esse projeto novo?". Na maior parte das vezes digo, "Se tempo for um fator, use a que voê tem afinidade, caso contrãrio, vamos analisar os casos de uso e verificar qual linguagem está mais de acordo para esse cenário".

Mas claro, essa é apenas a minha opinião. 😅
 

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
Fala, Grande Zé!

Cara, gosto de pensar que nem o Fabio Akita. Desenvolvedor tem que ser totalmente infiel/promíscuo quando se trata de linguagem de programação 😅Não acredito que exista "a linguagem de programação que resolverá todos os problemas" e acho que quando alguém fala que linguagem X é a melhor de todas, claramente existe uma falta de maturidade no meio do desenvolvimento. Não de que a pessoa que disse isso é imatura em sua personalidade ou que a pessoa seja necessariamente inexperiente em programação. As vezes a pessoa trabalha a 12 anos com a mesma linguagem e esse é o mundo dela. Tudo pra ela se resolve com a mesma linguagem e com as mesmas libs. Independente do tempo de mercado dessa pessoa, acredito que isso seja um pouco de imaturidade. No sentido de não explorar outras coisa, outras linguagens, outras libs etc. Até porque no frigir dos ovos, lógica de programção é a mesma coisa em qualquer linguagem. Talvez mudando um pouco a forma de pensar em dependendo do paradigma.

Vejo em muitos grupos de programação a galera tacando o pau em PHP e Java. A maioria acredito que é pelo efeito manada, e por conta do meme(que são engraçados diga-se de passagem). As vezes nem programou com essas linguagens mas já tem opinião formada. Por outro lado temos a galera que considera Python uma religião. Tudo essa pessoa resolve com Python, o que acaba gerando uma corrente de memes ou de pessoas que pensam da mesma forma em nem ter tentado usar a linguagem.

Claro, não podemos ignorar o fato de que algumas linguagens de programação são mais rápidas/lentas que outras, msa você sempre deve ser orientado pelos seus casos de uso e pelas demandas do seu cliente. A linguagem de programação ou banco de dados deve ser apens um detalhe. No final do dia, quando alguém me pergunta: "Arthur, qual linguagem de programação eu deveria usar pra esse projeto novo?". Na maior parte das vezes digo, "Se tempo for um fator, use a que voê tem afinidade, caso contrãrio, vamos analisar os casos de uso e verificar qual linguagem está mais de acordo para esse cenário".

Mas claro, essa é apenas a minha opinião. 😅
Arthur, concordo bastante com vc.
Eu ainda sou iniciante, mas tive a felicidade de ter um professor e coordenador do curso da faculdade, ainda nas primeiras aulas, após alguns alunos questionarem quais linguagens seriam aprendidas no curso e ele responder algo como: "Não se preocupem com a linguagem, se preocupem em aprender os principais conceitos e fundamentos de cada paradigma. O que muda de uma linguagem para outra, dentro de um mesmo paradigma, é apenas a forma de escrever ( sintaxe)". Vi C e Java na faculdade, que ainda estou cursando ( se Deus quiser termino ADS esse ano!!), daí logo na sequência, como vim de outra área e já tenho 34 anos, resolvi apostar no Java que apesar de todas as criticas da galera é de longe a que mais tem vagas de emprego no linkedin e sites como catho. Então estou aqui na cod3r fazendo o curso de Java com o Mestre Leonardo Leitão. O qual estou amando, diga-se de passagem. Porém, confesso que às vezes fico meio balançado, toda vez que vejo aquela enxurrada de criticas nas redes sociais. No entanto, vou seguir firme aqui com o meu javinha. hehe mas claro, sem casar com ele.hehe Na sequência pretendo aprender javaScript.
 

mourabraz

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
36
Curtidas
83
Pontuação
54
Cidade
Leiria
Olá pessoal! Como engajei no início agora não largo o pé! :p

@Arthur Bandeira concordo contigo, e nesse sentido queria reforçar a ideia de que a linguagem é uma ferramenta para um determinado cenário. Há linguagens que resolvem um problema melhor do que a outra. E mudar de ferramenta não é tão complicado assim depois que se domina algumas outras linguagens.
Este reforço é para que eu possa expor outra coisa sem ser mal entendido.

Apesar das diferenças de uso, as linguagens mais generalistas, aquelas que são mais faladas, acabam sempre criando uma forma de se aproximar daquela demanda que elas não atendem no momento. Isso não faz delas a linguagem adequada e muito menos a mais fácil para lidar com aquele cenário. Mas traz conforto, ou pelo menos um pseudo conforto.

Por exemplo, para mim, e repito, na minha prespectiva pessoal, a sintaxe de uma linguagem pode ou não contribuir para que eu escolha ela ou não. Ou à vezes pode ser a demanda do mercado que determine a minha escolha, mas de fato, a forma como somos introduzidos ou iniciados na programação e com qual linguagem isso acontece influencia muito nesse sentimento de carinho por uma determinada linguagem. EU amo JAVA porque comecei com JAVA. Mas não programo nada em JAVA desde.... sei lá! Talvez da versao 1.8. Mas só de entrar na cod3r começou a bater aquela saudade e fui empelido a comprar o curso de JAVA ahahahahah... muito bom!

E eu destestava javascript e acho que foi por causa da forma como fui iniciado com ela, pois foi da pior maneira possível... Hoje existem muitas pessoas dominando a linguagem e com isso muito material bom tem aparecido seja pago ou gratuito (muita coisa errada também aparece junto!) Por foça da necessidade tive que ir contra minha vontadade e tive de estudá-la com o tempo fui ficando cada vez mais atraído por ela. Já falei em outro post. Acho que ainda fico com ela mais um ou dois anos (vamos ver como corre!).

No fim das contas o que gostaria de dizer é: Escolher uma linguagem é saudável, principlamente para inciados. Para aprender programação tem que fazer uso de uma linguagem de programação, porque ela é o "código" que transforma nossos pensamentos em algo que pode ser entendido por outra parte. Explorar ou ter noção da existencia de outras também é saudável, mas masterizar a nível intermediário uma delas (apenas) antes de explorar outras melhor ainda.
Linguagens boas para isso, no meu ponto de vista, são as linguagens mais rígidas, menos permissivas, e mais dedicadas a um determinado paradigma. Eu tenho para mim que JAVA é uma das melhores se não a melhor linguagem para se iniciar e ainda até galgar alguns passos mais à frente, além de vários conceitos de programação que ela facilita no aprendizado, também irá dar uma noção de tratamento de erros, Programação Orientada a Objectos etc
Depois que tenha estudado legal OO para se aprender OF não tem jeito tem que sofrer e ir lá para o Haskel por exemplo, não adianta se enganar achando que usando as pseudo lambdas do Java que vai estar programando OF.


Outra linguagem que escolas de referencia usam é o Python. Mas eu não conheço Python... já tentei mas não deu! Não bateu aquela empatia. Mas tenho ela na minha lista de linguagens a estudar.


(eu qd comecei a escrever tinha uma ideia mas nítida do que queria compartilhar, mas sendo bem sincero fui desviado do forum e me perdi um pouco, my bad!)

Abraços!
 

Zé Junior

Membro
Cadastro
23/12/20
Postagens
14
Curtidas
28
Pontuação
36
Cidade
Goiânia
Olá pessoal! Como engajei no início agora não largo o pé! :p

@Arthur Bandeira concordo contigo, e nesse sentido queria reforçar a ideia de que a linguagem é uma ferramenta para um determinado cenário. Há linguagens que resolvem um problema melhor do que a outra. E mudar de ferramenta não é tão complicado assim depois que se domina algumas outras linguagens.
Este reforço é para que eu possa expor outra coisa sem ser mal entendido.

Apesar das diferenças de uso, as linguagens mais generalistas, aquelas que são mais faladas, acabam sempre criando uma forma de se aproximar daquela demanda que elas não atendem no momento. Isso não faz delas a linguagem adequada e muito menos a mais fácil para lidar com aquele cenário. Mas traz conforto, ou pelo menos um pseudo conforto.

Por exemplo, para mim, e repito, na minha prespectiva pessoal, a sintaxe de uma linguagem pode ou não contribuir para que eu escolha ela ou não. Ou à vezes pode ser a demanda do mercado que determine a minha escolha, mas de fato, a forma como somos introduzidos ou iniciados na programação e com qual linguagem isso acontece influencia muito nesse sentimento de carinho por uma determinada linguagem. EU amo JAVA porque comecei com JAVA. Mas não programo nada em JAVA desde.... sei lá! Talvez da versao 1.8. Mas só de entrar na cod3r começou a bater aquela saudade e fui empelido a comprar o curso de JAVA ahahahahah... muito bom!

E eu destestava javascript e acho que foi por causa da forma como fui iniciado com ela, pois foi da pior maneira possível... Hoje existem muitas pessoas dominando a linguagem e com isso muito material bom tem aparecido seja pago ou gratuito (muita coisa errada também aparece junto!) Por foça da necessidade tive que ir contra minha vontadade e tive de estudá-la com o tempo fui ficando cada vez mais atraído por ela. Já falei em outro post. Acho que ainda fico com ela mais um ou dois anos (vamos ver como corre!).

No fim das contas o que gostaria de dizer é: Escolher uma linguagem é saudável, principlamente para inciados. Para aprender programação tem que fazer uso de uma linguagem de programação, porque ela é o "código" que transforma nossos pensamentos em algo que pode ser entendido por outra parte. Explorar ou ter noção da existencia de outras também é saudável, mas masterizar a nível intermediário uma delas (apenas) antes de explorar outras melhor ainda.
Linguagens boas para isso, no meu ponto de vista, são as linguagens mais rígidas, menos permissivas, e mais dedicadas a um determinado paradigma. Eu tenho para mim que JAVA é uma das melhores se não a melhor linguagem para se iniciar e ainda até galgar alguns passos mais à frente, além de vários conceitos de programação que ela facilita no aprendizado, também irá dar uma noção de tratamento de erros, Programação Orientada a Objectos etc
Depois que tenha estudado legal OO para se aprender OF não tem jeito tem que sofrer e ir lá para o Haskel por exemplo, não adianta se enganar achando que usando as pseudo lambdas do Java que vai estar programando OF.


Outra linguagem que escolas de referencia usam é o Python. Mas eu não conheço Python... já tentei mas não deu! Não bateu aquela empatia. Mas tenho ela na minha lista de linguagens a estudar.


(eu qd comecei a escrever tinha uma ideia mas nítida do que queria compartilhar, mas sendo bem sincero fui desviado do forum e me perdi um pouco, my bad!)

Abraços!

Desculpe, mas eu ri muito na sua frase final. hehe às vezes ocorre comigo também.
Muito bom, concordo bastante com tudo que vc digitou. Valeu pela contribuição!! ;)
 
Top